sexta-feira, 22 de julho de 2011

Guerreira do Comércio: homenagem a D. Luiza Maeda

Na semana que passou, uma castrense de coração recebeu duas merecidas homenagens. Mitsuko Maeda (FOTO), conhecida entre todos como D. Luiza, foi a homenageada com o título de “Comerciante do Ano”, no Dia do Comerciante pelo SindiCastro, comemorado no último dia 12, no Moinho da Castrolanda. E no dia 15, ela recebeu o título de “Guerreira do Comércio” em evento promovido na capital paranaense, pelo Sistema Fecomércio.
D. Luiza é a fundadora da tradicional loja A Rainha, com 32 anos de existência em Castro, é viúva do Sr.Takeshi Maeda, que esteve à frente de vários estabelecimentos e entidades de nossa cidade.

Sobre a homenageada
Mitsuko Maeda, mais conhecida por D. Luiza, nasceu no Japão,, em 16 de novembro de 1939. Veio para o Brasil com a família aos 18 anos, instalando-se em Pindamonhangaba (SP).
Trabalhou na agricultura, mas decidiu aventurar-se em São Paulo, onde trabalhou em diversos serviços, entre eles, como vendedora e locutora de rádio num programa em japonês. Lá conheceu Takeshi Maeda, com quem se casou em julho de 1961.
Em julho de 1962, seu Maeda fez uma cirurgia. Então, vieram a Castro, para descansar na fazenda de seu cunhado. Trouxeram apenas uma mala e a primeira filha, que tinha 3 meses de idade. E não saíram mais de Castro.
Outros filhos foram nascendo e o trabalho árduo na fazenda continuou, inclusive tendo em vista que o casal adquiriu lote próprio para cultivo.
Em comum acordo com o marido que tinha saúde delicada e preocupava-se em faltar à esposa e aos cinco filhos, decidiram se estabelecer no comércio. Assim, mudaram da fazenda para a cidade quando o marido ingressou no comércio de insumos agrícolas. E ao estudarem um negócio para ela, optaram pelo ramo de artigos esportivos: nascia, há 32 anos, a Loja A Rainha.
As dificuldades foram muitas: a língua portuguesa, que ela não dominava; e na parte comercial, porque, naquela época, havia poucos fornecedores de materiais e equipamentos esportivos, bem como de confecções esportivas. Foram muitas viagens a São Paulo e Santa Catarina em busca de artigos, produtos de qualidade, dentre outras ações.
Com funcionários de confiança, como Laura, José e Dona Josepha, que são considerados parte da família, hoje é possível afirmar que a loja cresceu e goza de certa estabilidade. Essa situação é recente, talvez dos últimos dez anos, pois é preciso lutar todos os dias para manter o negócio caminhando. Incrivelmente disposta, até os dias de hoje, aos 71 anos de idade, continua indo uma ou duas vezes por mês para São Paulo, fazendo pessoalmente grande parte das compras da loja. E faz planos de continuar, ao menos, por mais 5 anos.
Seus 5 filhos: Noemia, Fabio, Sandra, Marisa e Carlos, seus genros e noras, e também seus 14 netos, são testemunhas da pessoa que D. Luiza é: atenciosa, carinhosa, presente, companheira, animada para trabalhar e mais ainda para passear, de fácil convivência, muito simples, mas determinada e firme, muito firme. Com certeza, uma guerreira. Em casa e no comércio. Merecedora da homenagem que está recebendo, do respeito e do amor dos seus.
(Adaptado livremente do discurso em homenagem à Dona LuIza proferido na data em questão por sua nora Marisa Maeda)
Postar um comentário