sexta-feira, 15 de junho de 2012

ANTROPOFOCUS em Castro: ainda dá tempo de assistir

O grupo Antropofocus apresenta-se com mais um espetáculo nesta sexta, 15, no Teatro Bento Mossurunga, às 19h30
O grupo Antropofocus está em Castro
Através do Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz, o Grupo Antropofocus, com 12 anos de estrada, apresenta dois de seus mais conhecidos espetáculos em Castro, como parte do  Projeto "De Volta Pra Casa", que contempla apresentações nas cidades natais dos integrantes do grupo.
Castro está contemplada por conta do sonoplasta Célio Savi Bastos ser natural da nossa cidade.
Nesta quarta-feira, 14, foi a vez de "Pequenas Caquinhas". À tarde, o Teatro Bento Mossurunga ficou lotado com jovens alunos da rede pública de ensino para uma apresentação especial da peça, que sobe aos palcos desde 2004 e é muito conhecida - e disputada - na capital paranaense e já viajou todo o país. Às 19h30, uma apresentação aberta ao público e para patrocinadores em geral, seguida de mais uma apresentação às 21h30 especialmente para membros da Cooperativa Castrolanda.
Amanhã, 15, é a vez de "Contos Proibidos de Antropofocus", outro grande sucesso do grupo, desde 2007. A apresentação acontece às 19h30, também no TBM, com ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia). Quem comparecer ao teatro usando camiseta do Grupo, também paga meia entrada.
O Antropofocus tem como atores Anne Celli, Andrei Moscheto, Danilo Correia, Jairo Bankhardt e Marcelo Rodrigues. Sonoplastia e Assitência de Direção de Célio Savi. Iluminação de Anry Aider. Direção de Andrei Moscheto.
Para comprar ingressos antecipados, ligue (42) 9117 8177.

Sobre Pequenas Caquinhas
"Pequenas Caquinhas" é o resultado da pesquisa do grupo Antropofocus em extrair humor de todos as maneiras possíveis dentro do teatro. Seja do ator, do texto, dos elementos técnicos, de um adereço inesperado, sempre abusando da imaginação da platéia. A montagem traz uma comédia inteligente, que não faz uso de apelações gratuitas – como palavrões e interação ofensiva com a platéia.
 O nome é bastante sugestivo, mas não é nada disso que você está pensando. O “pequenas” é somente por causa do tamanho curto - às vezes curtíssimos - dos quadros apresentados, e as “caquinhas” são simplesmente devido ao fato do grupo partir dos mais ínfimos detalhes para criar grandes cenas de muito humor.

Sobre Contos Proibidos de Antropofocus
Na peça "Contos Proibidos de Antropofocus", o grupo enfrenta o desafio de fazer um espetáculo inteiro sem nenhum diálogo, onde a comunicação acontece através do som. Partindo da metáfora da incomunicabilidade, as cenas - ou Contos - acontecem em ambientes onde pessoas desconhecidas se encontram, mas raramente iniciam uma conversa: dentro de um ônibus, debaixo de uma marquise num dia de chuva ou em um banheiro masculino. Também há contos sobre segredos, coisas que fazemos e que preferiríamos que ninguém ficasse sabendo.
A idéia de fazer um espetáculo assim surgiu porque todos os grandes comediantes usam medidas sonoras para falar de seus trabalhos: o tom da cena, o tempo da piada, o ritmo da ação, o timming de comédia. Este projeto é uma investigação do grupo AntropofocusTM sobre força cômica que o som tem.


Saiba mais sobre o grupo www.antropofocus.com.br
Veja fotos da apresentação em 14 de junho de 2012 no Teatro Bento Mossurunga:
PEQUENAS CAQUINHAS de ANTROPOCUS em Castro - 14 de junho de 2012
Postar um comentário