quinta-feira, 6 de maio de 2010

Secretaria de Turismo em Castro lançará quatro projetos até agosto

A Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Turismo de Castro vai lançar durante o ano, vários projetos. O primeiro deles, no dia 19 de maio, no Teatro Bento Mossurunga, denominado “Se essa rua fosse minha” , que visa descrever vários itens relacionados a cada rua da cidade. Quem foi o autor do projeto do nome da rua na Câmara Municipal, se teve um nome anterior ao atual, quem foi o personagem que lhe deu nome, a altitude mínima e máxima, extensão, Código de Endereçamento Postal (CEP), as travessas, o número de postes de luz, se temCor do texto esgoto e água encanada, quantas bocas de lobo, tipo de pavimentação, se a rua é comercial, residencial ou mista e também o nome e origem do bairro onde estão situadas. A mesma pesquisa será feita para os prédios públicos.
A ideia, segundo o secretário municipal de Indústria, Comércio e Turismo de Castro, Izidro Guedes, é fazer um levantamento detalhado para que os dados possam servir ao trabalho de pesquisadores e engenheiros, além de levar conhecimento à população sobre a história das ruas e prédios públicos de Castro. Todas as informações serão disponibilizadas na internet pelo Google Earth. “Após o lançamento, esperamos contar com a colaboração da comunidade para nos munir de informações”, diz.


Feijãozinho castrense
Em junho, será lançado o “feijãozinho castrense”, bebida à base de feijão branco com receita de uma equipe de voluntários da Secretaria, com temperos especiais e acompanhado de pão francês fatiado, azeite, pimenta tabasco, queijo e couro de porco à pururuca. Tudo isso regado a cachaça com limão, ou ao gosto do freguês. A ideia é que o prato seja servido em bares, restaurantes e lanchonetes durante o inverno. O prato será servido em louça própria.
Guedes explica que a ideia da bebida é aproveitar que Castro, além de cidade turística, já possui dois pratos na área gastronômica, o “Castropeiro”, a base de feijão e o “Castrofest”, a base de carne de cordeiro. “Então se faz necessário um prato de entrada. O feijão é um principal elemento da agricultura familiar em nosso município. Castro se destaca entre os maiores produtores do Estado do Paraná e é o único município brasileiro que tem uma bolsa do feijão, instrumento criado pelo Sindicato Rural de Castro, visando melhorar as condições de mercado. Além disso, temos duas fábricas de couro de porco à pururuca e queijo em abundância. Enfim, todos os componentes do “feijãozinho castrense”, que temos certeza que será um sucesso”.
Em julho será a vez do projeto “1º Festival de Comida de Boteco” onde bares, restaurantes e lanchonetes vão apresentar um prato que será fotografado para figurar em material publicitário. As receitas constarão em um livro que será publicado em agosto. A Secretaria se encarregará de fazer a mídia para os estabelecimentos.
Em agosto será lançado o projeto “Conhecendo Castro”, em parceria com o comércio castrense. Será editado um álbum de figurinhas contando a história do município.
Postar um comentário