domingo, 13 de setembro de 2009

1ª Bienal do Livro de Curitiba tem balanço positivo

A organização da 1ª Bienal do Livro de Curitiba divulgou os números finais contabilizados no fechamento do evento. Na avaliação do diretor da Agência Esfera, Julcio Torres, responsável pela Bienal, o balanço é positivo. Nos nove dias, 50 mil pessoas visitaram a feira de livros e participaram das atividades culturais, debates, palestras, sessões de autógrafos, exibição de filmes, peças de teatro e apresentações musicais.
Aproximadamente, 1440 professores do Paraná participaram do seminário Literatura e Ensino realizado em conjunto com a Secretaria de Estado da Educação. A visitação escolar na Bienal rendeu um público estimado de 15 mil alunos da rede estadual e particular.
Ao todo foram realizadas quatro oficinas literárias com os mais renomados escritores nacionais, alguns membros da Academia Brasileira de Letras. Também 24 cafés literários, mais de 30 sessões de cinema, 14 sessões de autógrafos, 32 peças encenadas, contação de histórias, exposição de Monteiro Lobato, Mãos de Escritores Franceses, apresentações de orquestras e corais infantis, shows de bandas e cantores, atores performáticos e de rua levando sua arte a todo o público em mais de 750 horas de programação intensa.
Em sete mesas nobres, com grandes personalidades como a senadora Marina Silva, o teólogo Leonardo Boff, Carlos Heitor Cony, Nelson Vieira (EUA), Antonio Cícero, Antonio Secchin, Ivan Junqueira, Ruy Castro, Cristovão Tezza, entre outros, foram debatidos o passado e futuro, gêneros e formas de literatura.
Além de uma grande discussão de políticas públicas de incentivo a leitura com a Secretária de Cultura Vera Mussi, o Deputado Federal Marcelo Almeida, o Vereador Ney Leprevost, Paulino Viapiana, Presidenta da Fundação Cultural de Curitiba e o representante do MinC, Fernando Piuba. “Nosso objetivo foi desde o início a disseminação do livro. Construímos o tripé cultura, educação e sustentabilidade e com isso conseguimos colocar definitivamente nossa cidade no cenário literário nacional”, conclui Torres.
Postar um comentário