quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Mestrado em Meio Ambiente: inscrições até dia 23

Encerra-se no dia 23 de janeiro o prazo para as inscrições no mestrado profissional em Meio Ambiente Urbano e Industrial do Senai Paraná, desenvolvido em parceria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Universidade de Stuttgart, da Alemanha. Único no Brasil, o curso oferece dupla titulação, no Brasil e na Alemanha. São apenas 35 vagas para a formação que é voltada para profissionais do setor industrial.
O mestrado profissional apresenta uma nova proposta de formação técnica e científica com foco na indústria. A proposta é formar profissionais qualificados e preparados para enfrentar os desafios do dia-a-dia da indústria na área ambiental e também no campo da sustentabilidade.
Com duração de quatro semestres (mestrado brasileiro) a seis semestres (dupla titulação), o curso conta com 24 professores doutores, mestres e especialistas, que orientam os alunos em 35 disciplinas na área de meio ambiente e em suas teses de mestrado. Para o reconhecimento na Alemanha o aluno deverá ser aprovado em exame de proficiência do idioma alemão.
O programa tem seis linhas de pesquisa nas áreas de meio ambiente: gestão de resíduos sólidos e da atmosfera, tratamento de efluentes, prevenção da poluição, hidroquímica, hidrobiologia e técnicas de abastecimento de água.
O mestrado é certificado pela UFPR e reconhecido pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, do Ministério da Educação) e Universidade de Stuttgart.
O início das aulas – que serão ministradas nas sextas-feiras (das 19 horas às 22h40) e sábados (das 8 horas às 17h10) – está previsto para 6 de março. As inscrições podem ser feitas na unidade Senai CIC/Cetsam (Centro de Tecnologia em Saneamento e Meio Ambiente), onde acontecem as aulas.
O projeto é fomentado pelo Ministério da Economia do Estado de Baden-Württemberg e subsidiado financeiramente pelo Deutscher Akademischer Austausschdienst (DAAD), que é a instituição alemã responsável por intercâmbios internacionais acadêmicos. O projeto de cooperação internacional também conta com o apoio do Ministério das Relações Exteriores, através da Agência Brasileira de Cooperação.
Postar um comentário